Notícias


Análise Pós-Emergencial: Incêndio em Cubatão


06/01/2017 13:52:06

O trabalho de rescaldo feito pelos bombeiros no incêndio que atingiu uma unidade da Vale Fertilizantes, em Cubatão (SP), terminou no início da manhã desta sexta-feira (6). Ao todo, foram mais de 15 horas de trabalho do Corpo de Bombeiros e de autoridades responsáveis no local. O incêndio aconteceu na tarde da última quinta-feira (5).

De acordo com os bombeiros que trabalharam durante toda a madrugada no rescaldo do incêndio, uma esteira entrou em contato com o líquido nitrato de amônio e, por isso, houve a explosão. Ainda segundo os bombeiros, mais de 1 milhão de litros do líquido foi queimado no incêndio.

Segundo a capitã do Corpo de Bombeiros, Cintia Nardy, o trabalho foi finalizado na manhã desta sexta-feira (6). “Finalizamos o rescaldo. Inicialmente, atuamos com viaturas da Baixada Santista, mas tivemos viaturas de São Paulo também. Agora, a CETESB fará uma avaliação, a perícia também, mas os bombeiros estão finalizando o trabalho deles”, falou.

As famílias que moram próximas ao incêndio que atingiu a unidade da Vale Fertilizantes já retornaram ao seus lares. Elas precisaram ser removidas de suas residências por conta da fumaça tóxica que foi jogada na atmosfera e poderia causar danos aos moradores.

Além dos moradores, todos os trabalhadores de empresas próximas à unidade atingida da Vale Fertilizantes já estão liberados para retornarem aos seus postos, o que deve acontecer já na manhã desta sexta-feira.

A explosão foi registrada na tarde desta quinta-feira (5), às margens da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, em Cubatão (SP). De acordo com informações iniciais, o incidente foi ocasionado por um incêndio na Unidade 2 da empresa, iniciado em uma correia transportadora. Segundo o Corpo de Bombeiros, houve vazamento de nitrato de amônio e ácido sulfúrico na atmosfera, produtos considerados altamente tóxicos.

Desde as 15h da última quinta-feira (5), uma fumaça alaranjada pôde ser vista de vários pontos da região. Ao todo, 15 equipes do Corpo de Bombeiros da Baixada Santista e 20 da Grande São Paulo foram deslocadas ao local para atenderem a ocorrência. A Brigada de Incêndio da empresa também atuou no combate às chamas e ao vazamento químico.

Representantes da Defesa Civil, da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e do Plano de Auxílio Mútuo (PAM) do Polo Industrial de Cubatão também acompanham a situação.

A Prefeitura de Cubatão, por meio de nota, informou que não há feridos. Afirmou ainda que segue monitorando a situação para entender o que causou o problema e qual é a composição do gás liberado pela explosão. A Secretaria Municipal de Segurança decidiu dispensar os servidores de Cubatão, mas não houve necessidade de a população se afastar de suas casas.

 

Palavra da empresa

Por meio de nota, a Vale Fertilizantes informou que houve um incêndio em uma correia transportadora que alimenta o armazém da unidade de nitrato de amônio do Complexo Industrial de Cubatão. Seguindo as diretrizes de segurança da empresa, houve evacuação imediata e paralisação da produção da unidade e empresas vizinhas. Dois bombeiros, durante o combate, passaram mal e foram imediatamente atendidos. Ainda segundo a Vale, os bombeiros passam bem.

A emissão dos gases gerados durante a queima do nitrato já foi contida. A fumaça gerada, de cor laranja avermelhada e tóxica, já foi dissipada na atmosfera. A empresa completa dizendo que está trabalhando com o Corpo de Bombeiros e autoridades locais e não medirá esforços para minimizar os efeitos deste incidente para a população. As causas do incêndio estão sendo apuradas, bem como eventuais danos ambientais.

“Quem entrar em contato com esses poluentes pode ter sintomas como problemas respiratórios, irritação no pulmão, nariz e traqueia, falta de ar, além de irritação nos olhos. Quando é altamente aquecido, ele forma poluentes muito tóxicos, como óxidos de nitrogênio. Este é um composto poluente forte muito solúvel em água, o que facilita a contaminação na umidade do ar e no lençol freático, por exemplo”, explica.

 

Produto tóxico

Segundo o professor de Química e pós-graduado em Biologia Química pela Universidade de São Paulo (USP), Murillo Consolli Mecchi, as substâncias soltas na atmosfera podem causar problemas como irritação nos olhos e na garganta. Por isso, é importante tentar se manter distante e evitar inalar a fumaça.

 

Chuva ácida

De acordo com Elio Lopes dos Santos, engenheiro ambiental da Cetesb, além das consequências ao ser humano, também há perigos para a vegetação da área. “Essa conjunção de elementos pode causar até chuva ácida. Dependendo da concentração, tende a atingir e queimar a vegetação. Como a poluição atmosférica não tem fronteira e se desloca pelo vento, essas substâncias ficam reagindo na atmosfera por um tempo relativamente longo, gerando outros poluentes”, destaca.

 

Visão WGRA

Somos experientes para atuar em cenários de acidentes seguido de incêndio de grandes proporções envolvendo substancias químicas, inclusive fertilizantes, sabemos da complexidade e risco na operação, bem como, necessidade de um planejamento estratégico minucioso e personalizado para cada caso, deixamos aqui nossos parabéns aos profissionais que se dedicarão ao combate a esta emergência e descaracterização deste cenário emergencial.

Este evento nos fez resgatar na memória uma de nossas atuações. Gestão e coordenação na ocorrência em setembro de 2013 em São Francisco do Sul/SC, onde 10.000 toneladas de fertilizantes esteve envolvido em um incêndio de grandes proporções, ocasionando a exposição da comunidade e meio ambiente na esfera interestadual, tendo a origem em um terminal intermodal na área portuária do município, com envolvimento direto de 26 entidades no controle da emergência, entre empresas privadas e órgãos públicos.

 

Fonte: G1